Terça-feira, 15.02.11

Ciclovia na Holanda vai gerar energia solar

De acordo com o site "Menos um carro", que por sua vez cita o site News on Green, «Para promover a utilização da bicicleta e reduzir as emissões de CO2 para a atmosfera, a cidade de Krommenie, na Holanda, irá contar, a partir de 2012, com uma ciclovia capaz de gerar energia solar.

SolaRoad de Krommenie

O projecto denominado SolaRoad foi desenvolvido pela Organização Holandesa de Pesquisa Científica Aplicada (TNO), em parceria com a empresa de tecnologiaImtech, e deverá ser implementado em 2012 na cidade de Krommenie, no norte da Holanda.

Com 10 km de comprimento, a ciclovia será coberta por uma camada de células solares de silício e o sistema gerador será protegido por uma placa de vidro resistente, de forma a suportar o peso até de um camião.

Segundo os impulsionadores deste projecto, o objectivo é que o SolaRoad gere 50 kWh por metro quadrado ao longo do ano, valor que deve ser suficiente para abastecer a iluminação das ruas próximas à ciclovia e os semáforos.

Além disso, a energia excedente poderá ser aproveitada para uso doméstico. A TNO destaca ainda que esta iniciativa, que se insere no programa de energia renovável holandês, poderá, no futuro, ser implantado em toda a rede rodoviária do país.

Saiba mais sobre este projecto no site da TNO


 

Se resultar, que tal reivindicar o mesmo para Paços de Ferreira? 


 

Quarta-feira, 01.09.10

Oficina de Fornos Solares na Salina Eiras Largas

Transcrevendo:


Oficina de Fornos Solares na Salina Eiras Largas

No próximo dia 12 de Setembro o Explore Figueira, irá dinamizar uma “Oficina de Fornos Solares” na Casa Do Sal da Figueira da Foz (Salina Eiras Largas, Armazéns de Lavos), com o prof. Celestino Ruivo da Universidade do Algarve, membro fundador da "Solar Cookers International Association".

No início da actividade serão colocados alguns alimentos em fornos solares a fim de provar a eficiência destes. Durante a cozedura, será feita uma pequena visita às Salinas, guiada por Jael Palhas e uma breve palestra “Potencialidades dos Fornos Solares” pelo Prof. Celestino Ruivo, seguida de uma demonstração da construção de fornos solares. Por fim, haverá a oportunidade de provar alguns “petiscos solares”.

Para poder participar terá de se inscrever até dia 9 de Setembro pelo número 910 219 021 ou pelo e-mail figueira@explore.com.pt e terá um custo de 15€/pessoa.

É uma boa oportunidade para conhecerem e testarem os fornos solares e aprenderem a poupar mais algum dinheiro e energia nas vossas casas.

Apareçam e ajudem a divulgar.

Cumprimentos solares.

 

Jael Palhas
Explore - Percursos Interpretativos

www.explore.com.pt (brevemente disponível)

Tlm. Explore: 910219021

Mail: figueira@explore.com.pt

publicado por p3es às 19:16 link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 08.07.10

Avião movido a energia solar tenta voo nocturno

in http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Tecnologia/Interior.aspx?content_id=1612786, 2010.07.07


O avião Solar Impulse, propulsado exclusivamente por energia solar, que irá dar a volta ao mundo em 2012, descolou hoje, quarta-feira, com o objectivo de completar o seu primeiro voo nocturno.

O protótipo suíço levantou voo do aeródromo de Payerne, Suíça, pelas 07.00 horas (hora local) e irá voar durante todo o dia de hoje, carregando assim as suas baterias solares para poder voar toda noite, aterrando 24 horas depois de ter descolado.

Caso este plano seja conseguido, o avião pilotado por André Borschberg terá conseguido concretizar o seu objectivo primordial, o de demonstrar a fiabilidade de voar à noite num avião propulsionado por energia solar.

Pouco antes da hora de partida, o protótipo foi submetido a uma série de provas e testes finais, sendo que conseguiu voar a uma altitude de 8500 m. A altitude a alcançar durante o voo desta noite será de 1500 m.

Este voo, que estava previsto para o passado dia 1 de Julho, foi adiado devido a problemas técnicos que teriam impedido o seguimento desde terra de parâmetros cruciais para a segurança da nave e da sua tripulação.

Solar impulse
A volta ao mundo

Foi no passado dia 7 de Abril que o Solar Impulse completou o seu primeiro voo de uma hora e meia, aterrando no mesmo aeródromo do qual partiu hoje.

A meta final de Bertrand Piccard, o aventureiro e mentor deste desafio, consiste em que o protótipo, avaliado em 70 milhões de euros, dê a volta ao mundo com cinco escalas em cinco dias no prazo de dois anos.

A partir das conclusões técnicas retiradas do voo nocturno a realizar no dia de hoje, será construído um novo protótipo.

O projecto que já conta com cinco anos de trabalho procura agora potenciar as energias renováveis, promovendo a sua utilização e provando assim que é possível poupar energia com a utilização das novas tecnologias.


Avião movido só a energia solar consegue voo de 26 horas

in http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Tecnologia/Interior.aspx?content_id=1613544, 2010.07.08, 13h28


O avião Solar Impulse, que só funciona com energia solar, aterrou esta manhã, quinta-feira, depois de um voo experimental de 26 horas. Aumentam assim as hipóteses de uma volta ao mundo em 2013.

Imagem do avião solar durante o voo experimental (Foto A.P.)

O Solar Impulse, imaginado pelo explorador suíço Bertrand Piccard, aterrou na pista da base militar de Payerne, no oeste da Suíça, comandado pelo piloto e co-fundador do projecto, André Borschberg, e foi recebido com aplausos por uma centena de espectadores.

O avião, cujas asas estão cobertas por 12 mil células fotovoltaicas que alimentam os quatros motores eléctricos, tinha descolado ontem, quarta-feira, da pista da base militar de Payerne e realizou parte do voo de noite, numa viagem inédita para o aparelho e para a equipa.

As baterias de lítio-polímero de 400 kg instaladas no avião, que foram recarregadas pelos painéis solares ao longo do dia de quarta-feira, forneceram a energia necessária para manter o aparelho no ar durante o voo nocturno.

"Será um grande dia se tudo correr bem", declarou, pouco antes da descolagem, Bertrand Piccard, conhecido por ter feito a primeira volta ao mundo em balão sem escala há mais de dez anos.

André Borschberg, antigo piloto de aviões de combate, manteve-se 26 horas no ar a uma altitude superior a 8500 m sem piloto automático.

Sete anos de trabalho foram necessários para concluir este avião, com uma envergadura de asas idêntica à de um Airbus A340 (63,40 m) e um peso pluma de 1600 kg.

publicado por p3es às 18:56 link do post | comentar | favorito
Domingo, 04.07.10

Cozinha solar

Na última semana de aulas, a 15 e 17 de Junho, englobada nos Dias da Ciências, esteve patente na sala C18 uma exposição de trabalhos elaborados pelos alunos em Educação Tecnológica durante o ano que agora terminou; entre eles diversos fornos solares de diversos tipos, construídos por alunos do 8.º ano, bem como alguns modelos cujos mores eléctricos eram alimentados por energia solar via células fotovoltaicas.

Embora o P3E's não tenha estado directamente presente, foi mais uma demonstração da aplicabilidade da utilização da energia solar, que o Projecto tanto defende.


Fornos solares reflectores

Três modelos de fornos solares reflectores.


Fornos solares reflectores e de caixa fechada

Outros quatro modelos de forno: à esquerda um reflector de estrela pentagonal e os restantes de caixa fechada.

 

Um dos fornos expostos, de caixa fechada e com a particularidade de ser desmontável, foi usado para assar umas maçãs:

Forno de caixa desmontável

É evidente que o seu resultado foi um pouco inferior ao industrial SunCook (abaixo); mas lá cumpriu a sua missão...

Forno SunCook e modelo de barco com alimentação fotovoltaica

Forno solar industrial SunCook em pleno funcionamento. À frente um modelo de "hovercraft" com o motor eléctrico alimentado a energia solar através das três células fotovoltaicas.

 

É escusado dizer-seque a pizza e as maçãs assadas nos fornos foram rapidamente consumidas pelos alunos e professores presentes, que destacaram, sobretudo, o sabor "especial" e "natural" dos produtos cozinhados nos fornos solares.

 

Para o ano há mais!

 

E, por falar em cozinha solar, um blogue a consultar: http://arquiecologia.com/cocina-solar/

Sexta-feira, 09.04.10

Dias Europeus do Sol 2010


Dias Europeus do Sol

No ano passado o P3E's tentou participar na Semana Europeia do Sol. Mas além de ter chovido "a cântaros", razões houve que fizeram cancelar in extremis os eventos programados.

Este ano a semana é um pouco maior: de 10 a 30 de Maio próximos. Embora as nossas hipóteses de participação e celebração sejam poucas, certamente que não iremos deixar "em escuro" esses dias!!!


 

P.S. - A APISOLAR - Associação Portuguesa de Indústria Solar é a entidade organizadora oficial dos Dias Europeus do Sol em Portugal, tendo como função coordenar todos os eventos associados ao projecto e sendo responsável por angariar outros eventos que decorrem por todo o país.
As actividades que o P3E's programou para 2009 estão no seu site aqui e aqui, o que muito nos honra. Esperamos que possa continuar a manter os links... já agora com o nosso logótipo...

publicado por p3es às 23:37 link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14.12.09

Kit solar em vez de 20 km a pé em busca de água

Kit solar em vez de vinte quilómetros a pé em busca de água

Por Lurdes Ferreira, in Público, 2009.12.14

Projectos nascidos em Portugal podem ajudar milhões de pobres e refugiados em todo o mundo.

 

Chamam-se Sun Aid e Kakuma, são dois projectos inovadores de responsabilidade social nascidos em Portugal, nos últimos meses, e apoiados pelas fundações Calouste Gulbenkian e EDP. Diferentes, têm um mesmo objectivo, que é lutar contra a pobreza e os efeitos da mudança climática, e a mesma energia solar como solução.

Nas próximas semanas, inicia-se o teste às suas ideias de desenvolvimento sustentável. Se funcionarem, mudarão a vida das mulheres e crianças que andam diariamente 40 quilómetros para ir buscar lenha ou 20 para chegar à água e que se sujeitam a violações e raptos pelo caminho.

De momento, em ambos os lados é tempo de formação da rede de parceiros, desde os fabricantes de equipamentos às organizações não governamentais (ONG) no terreno e aos chefes das comunidades locais.

Com o apoio da Fundação Gulbenkian, e mais recentemente da Fundação dos Emirados Árabes Unidos, o Sun Aid pretende instalar um kit solar por família que cozinhe a lenha - o que acontece a dois mil milhões de seres humanos. Cada kit, no valor de 500 dólares, é composto por um forno solar, um pasteurizador/dessalinizador solar para água e um painel fotovoltaico.

Os responsáveis do Sun Aid defendem que vai ser - e terá de ser para sobreviver - gerador de negócio para as comunidades abrangidas, dando condições para quebrar o seu ciclo de pobreza, e para as empresas que se associem ao projecto com produtos adequados a este mercado. Por isso, o kit será vendido em vez de doado, com base num modelo que poderá variar consoante as regiões: compra através de microcrédito, aluguer ou permuta por bens e serviços locais.

Sun Aid viveu até agora da colaboração pro bono de várias instituições e personalidades como o Barefoot College, de ajuda humanitária com sede na Índia, a brasileira IDEAAS, vocacionada para o apoio ao desenvolvimento, o instituto francês Insead, o Serviço Jesuíta aos Refugiados e a consultora internacional de inovação Strategos, entre outros. Mas, em fase de passagem para o terreno, o Sun Aid está a "profissionalizar-se". O ex-presidente da Brandia, João Perre Viana, que tem sido um dos voluntários, acaba de aceitar o cargo de presidente executivo.

O primeiro passo visível do Sun Aid, para cuja visão tem contribuído o conselho consultivo formado pelo ex-Presidente da República Jorge Sampaio, a presidente do grupo SAG, Esmeralda Dourado, o advogado Pedro Rebelo de Sousa, e um conjunto de personalidades e ONG nacionais e internacionais, começa esta semana com o "plano dos 100 dias" destinado à identificação, selecção e preparação do arranque dos três projectos-piloto com 150 a 250 famílias pobres rurais e urbanas no Brasil, Angola e Índia.

 

Fase-piloto em Kakuma

A Fundação EDP, que conquistou a parceria do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, liderado por António Guterres, e a atenção da fundação do ex-presidente Clinton, quer levar a energia solar aos refugiados. Em Fevereiro, começa a instalar os sistemas solares fotovoltaicos para iluminar o campo de Kakuma, no Quénia, onde vivem mais de 50 mil pessoas.

O projecto Kakuma, que o ex-primeiro-ministro socialista já considerou "inovador em termos de abastecimento de energia e sustentabilidade ambiental", pretende fornecer energia solar fotovoltaica e eólica à população do campo, dentro de um ano, com prioridade para as escolas e hospitais. Quando estiver concluído, em Outubro de 2010, em Kakuma estarão a funcionar painéis fotovoltaicos, aerogeradores, lâmpadas eficientes, bombas e purificadores de água e geradores diesel mais eficientes. Está ainda prevista a reflorestação de 10 hectares e a plantação de produtos hortícolas e frutícolas.

O orçamento é de 1,3 milhão de euros, sendo fomentada a aquisição de bens e serviços locais "sempre que possível". O objectivo da EDP é que o projecto seja replicado nos 152 campos de refugiados geridos pela ONU, com 42 milhões de pessoas em 116 países.

 

publicado por p3es às 21:17 link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Hora atual

Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

últ. comentários

links

blogs SAPO


Universidade de Aveiro